Destaque Negocios
Publicado em 06/05/2017 às 10:46 - Autor:

Aplicativo GoMoney busca reunir pessoas para troca de moeda sem burocracia

negocios-gol-443x500

Quem costuma ir para fora do país também está habituado a trocar moeda e conhece bem a burocracia e as taxas deste tipo de transação. Mas em tempos de nova economia e startups, era natural que este tipo de necessidade também passasse a ser simplificado. O GoMoney é um aplicativo que busca reunir pessoas interessadas em trocar moeda com economia e sem burocracia. No mercado desde 2015, ele está disponível na Google Store gratuitamente para aparelhos Android, pode ser instalado em iPhones através do formato Webapp ou acessado de qualquer computador em gomoney.me. Além da troca de câmbio, o GoMoney também permite a troca de ouro e prata, além de bitcoin, e está em constante aprimoramento.
A criação do GoMoney envolveu uma equipe multidisciplinar que agora permanece no escritório da empresa, em Campinas, e teve como objetivo proporcionar economia e estimular novas experiências aos viajantes que usam o app. “Com o dinheiro que você economiza com o GoMoney, você pode estender sua estadia, fazer aulas de surf, saltar de paraquedas…”, explica o CEO Maurício Pires. Ele reforça o perfil do aplicativo de ajudar o usuário a obter o melhor valor pela transação e usar a economia feita para aproveitar melhor a vida com experiências transformadoras.
Como acontece com boa parte das startups ou serviços novos, também há questionamentos que envolvem o uso do GoMoney. Um deles é relacionado à segurança, que também é uma preocupação da empresa.
Um diferencial fundamental é o GoMoney não geolocalizar de forma precisa quem está oferecendo a moeda para vender. O interessado vê um raio de localização no qual a pessoa se encontra e os dois, via chat, marcam um encontro, de preferência em local público, para realizar a transação. O aplicativo também conta com um sistema de avaliação entre usuários que classificam em um ranking os melhores contatos com quem fizeram negócio, um pouco como acontece no Mercado Livre.
Outro ponto é o fato de o GoMoney cruzar os contatos do Facebook do usuário para ele ter uma noção da procedência e saber se a pessoa é razoavelmente confiável, característica do Tinder e de outros apps de encontros. “Também damos dicas de segurança no site, no app e na Fan Page”, ressalta o CEO.

A seguir, o CEO do GoMoney, Maurício Pires, responde quatro questões sobre o app. Confira:
Por que o GoMoney foi criado?
Viajar pelo mundo, conhecendo outros países e culturas está sempre entre os maiores sonhos das pessoas. Entretanto, não é justo que mais ou menos 12% deste sonho seja perdido mesmo antes de começarmos a realizá-lo, pagando o lucro exagerado de casas de câmbio e bancos. Queríamos, acima de tudo, estimular a possibilidade da realização de experiências, algo que se leva para a vida toda e muitas vezes não conseguimos fazer porque boa parte de nosso esforço financeiro em economizar para uma viagem já vai embora logo na primeira troca de moeda. Criar um APP que ajuda as pessoas a realizar o sonho de viajar ou poder aproveitar muito mais suas viagens vale todo o esforço! Foi assim que surgiu o GoMoney: oferecemos uma opção mais barata para trocar moeda, em qualquer lugar do mundo, a qualquer horário.

Como vocês veem o GoMoney daqui a 5 anos?
Estamos trabalhando forte para que o GoMoney seja a principal fonte de troca de moeda no mundo. Já é a mais justa.

Sobre a questão do uso do app para fraudes e coisas similares, dá para precaver? Como lidam com isso?
A segurança do usuário é prioridade. O GoMoney nunca informa a localização dos usuários. O interessado vê um raio de localização no qual a pessoa se encontra e os dois, via chat, marcam um encontro para realizar a transação, sempre em local público. O aplicativo também conta com um sistema de avaliação no qual os usuários podem qualificar suas experiências de troca.
Além disso, o GoMoney cruza os dodos de contatos do Facebook e informa as ligações em comum. Isso ajuda o usuário a avaliar se a pessoa com quem está negociando é confiável. Ah, e também damos dicas de segurança no site, no app e na Fan Page.
Com relação a fraudes, penso que qualquer aplicativo está sujeito a um uso diferente daquilo que foi projetado, assim como podemos usar uma faca para cortar um pão ou matar alguém. Não é possível deixar de fazer algo que beneficie tanta gente por conta do mau uso que um ou outro pode pensar em fazer. Estamos sujeitos a isso em qualquer situação, mas há muito mais gente boa do que ruim no mundo. Criamos o app para estes.

Como veem o papel das fintechs no mercado hoje? Acreditam que as mudanças que elas estão causando serão permanentes?
Vejo que as fintechs estão fazendo com que todos abram os olhos: os consumidores estão vendo novas possibilidades de negócios mais baratas, mais seguras; já os bancos e grandes corporações financeiras estão vendo que um mercado tradicional, conservador e que não evoluía há um bom tempo como o Financeiro, pode sim mudar! Aliás, deve. Estamos vendo revoluções nos transportes, no cinema, na música, nas hospedagens, na própria forma de fazer propaganda… Os próximos seriam os bancos.
Da mesma forma como as pessoas não vão voltar a alugar filmes em locadoras físicas, a revolução causada pelas fintechs no geral vai ser permanente sim! Estamos felizes em participar disso!

Fonte:Redeagora.com.br
Foto: Maurício Pires, CEO do GoMoney

Comentários