Cidades Destaque
Publicado em 07/02/2017 às 14:00 - Autor:

Presidente Venceslau economiza R$ 9 mil com prédios próprios

pv-2

A Prefeitura de Presidente Venceslau está economizando R$ 9 mil por mês com a diminuição dos prédios alugados pela administração municipal. Com a readequação e reformas de imóveis do próprio município, o número de espaços locados passou de 23 para 13, sendo que os gastos caíram de R$ 27 mil para cerca de R$ 18 mil. Esse trabalho, conforme a Assessoria de Imprensa do Executivo, já vem sendo realizado desde 2013,quando o prefeito reeleito no ano passado, Jorge Duran Gonçalez (PSD), assumiu a Prefeitura pela primeira vez.

“Desde o início de sua gestão o prefeito sempre dispôs de empenho elevado para diminuir estes gastos com aluguéis. Atualmente, a Prefeitura paga aluguel de apenas 13 imóveis, sendo que dois são convênios, nos quais o município se comprometeu a pagar a locação dos imóveis”, relata a assessoria. Explica que um dos prédios é para a Central de Penas e o outro abriga o Cartório Eleitoral, com o qual o Executivo arca com a metade do aluguel.

Um dos serviços que mudou de um prédio alugado para um próprio foi o Caps (Centro de Atenção Psicossocial), que no ano passado passou a funcionar na antiga sede do centro comunitário do Conjunto Habitacional Azuma Futigami. O espaço passou por reforma e ampliação, com investimento superior a R$ 100 mil, recursos próprios do município.

Outro exemplo é o prédio do Plimec (Centro de Especialização Nelson Reis Oberlaender), na Rua Baturité, 196, que, desde o início da gestão de Duran, centralizou os cursos profissionalizantes da Secretaria Municipal de Assistência Social. No espaço, onde já foram formadas 1.827 pessoas, são realizados cursos como de eletricista, frentista, informática, agricultor familiar, agricultor agroflorestal, corte e costura, doces finos, sabonetes artesanais, salgados, cabeleireiro, entre outros.

O imóvel também passou por trabalhos da Seaama (Secretaria de Agricultura Abastecimento e Meio Ambiente) como pintura dos muros, guias e sarjetas, reformas de recuperação da calçada, incluindo a construção de rampas de acesso para pessoas com deficiência e cadeirantes. Ainda, foram substituídas árvores antigas que estavam comprometidas por cupins.

(O Imparcial)

Comentários