Destaque
Publicado em 07/06/2016 às 9:16 - Autor:

Vereadores de Presidente Venceslau ignoram abaixo-assinado e mantêm os salários atuais.

presidente-venceslau-camara-municipal

Na semana passada, um abaixo-assinado com mais de 1.600 assinaturas deu entrada na secretaria da Câmara Municipal de Presidente Venceslau como iniciativa popular, solicitando aos vereadores a criação de um Projeto de Lei para votar sobre os subsídios dos vereadores, prefeito, vice-prefeito e secretários na próxima gestão. O objetivo era o de diminuir o pagamento dos vereadores para um salário e meio.

Nesta segunda-feira, 6 , sem nenhum comunicado à população de que os três projetos que tratavam do assunto seriam votados, os vereadores deram entrada nos mesmos em regime de urgência, e fizeram a votação longe da pressão popular, mantendo os subsídios atuais, cerca R$ 4.300,00 para a próxima legislatura.

O vereador Raphael Balhestero ficou surpreso com a rapidez dos acontecimentos. Hoje às 15 horas, quando recebeu a pauta dos trabalhos da Câmara Municipal, nenhum dos três projetos estava entre os assuntos do dia, e nem mesmo à noite, quando chegou a casa, por volta das 20 horas, não havia nenhuma mudança de pauta. Balhestero só ficou sabendo dos três projetos a partir das 22h20 minutos, com a sessão em andamento. Havia pouca gente no plenário.

Ele tentou passar uma emenda fixando o valor de R$ 1.320,00, exatamente o solicitado na iniciativa popular (documento do abaixo-assinado), mas foi vencido pela maioria que votou a favor da manutenção dos subsídios. Votaram a favor da diminuição dos salários, os vereadores Mestre Tota, Lê Pregão, Ezequias Dassie e Raphael Balhestero. Votaram contra diminuição, Serafim Gomes, João Dassie, Tufi Nicolau Jr., Adelino Cabeleireiro, Zé Carlão, Carla Zíper, Nilson Scalon e Vandeir de Novaes. O presidente Eliseu Bayer não precisou votar

Desta forma o processo do abaixo-assinado cai por terra e as 1.600 assinaturas serão esquecidas. Vereadores, Prefeito, Vice-prefeito e Secretários receberão a mesma quantia dos atuais na legislatura e gestão do executivo de Presidente Venceslau no próximo mandato.

Comentários